domingo, 25 de novembro de 2012

Cap. 11 - Questões Socioambientais e Planejamento Urbano

Uso do Solo e Moradia:

O êxodo rural intenso levou milhares de migrantes ás cidades e ao chegar a esses lugares eles ficaram sem moradia. Como consequência, encostas de morros, terrenos baldios e áreas de mananciais foram ocupados, originando bairros sem nenhuma infraestrutura. 
As políticas habitacionais devem promover a regularização fundiária, a remoção e o reassentamento de famílias que moram em áreas de risco, além da construção de áreas de lazer e os serviços. Para regular o uso do solo urbano, é necessário que os governos municipais elaborem um Plano Diretor, um documento que prevê, entre outras coisas, a conservação do patrimônio histórico e cultural e o zoneamento da cidade, definindo as áreas residenciais, comerciais e industriais.


Clima Urbano:

O excesso de veículos automotores, a proximidade de áreas industriais e a dispersão de poeira e fuligem provocam na atmosfera urbana uma concentração maior de poluentes do que o normalmente aceito pelas organizações de saúde. A poluição do ar é provocada principalmente pela emissão de gases formados da queima de combustíveis fosseis (gasolina, óleo diesel e gás). Essa emissão lança na atmosfera elementos extremamente tóxicos, como dióxido de enxofre e o monóxido de carbono.
Para diminuir os efeitos negativos da poluição atmosférica, algumas alternativas são indicadas, como adotar novas tecnologias para controlar a emissão de gases dos veículos e das indústrias e estabelecer um sistema de transporte coletivo mais eficiente.Além disso, é necessário ampliar e manter grandes extensões de áreas verdes, que contribuem para regular o clima e tornar a paisagem urbana mais agradável.


Poluição e escassez das águas:

Nas cidades, a poluição das águas atinge rios, córregos, lagos e mares. As redes coletoras de esgoto são insuficientes, os sistemas de tratamento são precários, as ocupações atingem as áreas de mananciais e comprometem o fornecimento de água potável. A poluição da água pode ser provocada tanto por agentes químicos como por agentes orgânicos. Essas substâncias destroem diversas formas de vida aquáticas e contaminam os rios. E, posteriormente, podem afetar a saúde humana com doenças transmitidas por bactérias, protozoários e vermes.
Para evitar a contaminação de cursos d'água e da orla litorânea, uma medida eficaz é introduzir um sistema de tratamento de esgoto. Uma rede exclusiva de canos e tubulações que coleta o esgoto em residências, áreas comerciais e industriais e o direciona para uma estação de tratamento.


Poluição sonora e visual:

A grande circulação de veículos, as buzinas, as máquinas industriais, os aviões, os canteiros de obras e os caminhões de gás são exemplos de produção da poluição sonora. Outra forma de poluição comum aos centros urbanos é a visual. Outdoors, luminosos eletrônicos, placas e pichações poluem a cidade e encobrem a beleza arquitetônica ou natural.
Uma medida que pode ser seguida é a aplicação de leis para limitar o uso do espaço publicitário nas ruas das cidades, como ocorreu em São Paulo a partir de 2007.


Resíduos sólidos:

A grande concentração populacional e o aumento do consumo de produtos com embalagem descartável tornam o destino do lixo urbano um desafio. A quantidade descartada de resíduos sólidos domésticos varia de acordo com o nível médio de consumo local. Muitas cidades brasileiras estão com seus aterros em situação limite e já não dispõem de terrenos para destinar os resíduos.
Para reverter esse quadro, é necessário diminuir a produção de lixo e o consumo de embalagens descartáveis não recicláveis, ampliar a coleta seletiva e estruturar os aterros sanitários e locais de incineração.


Violência urbana:

O crescimento da violência é alarmante nas médias e grandes cidades brasileiras, onde assaltos, roubos, sequestros e homicídios tornaram-se, infelizmente, bastante frequentes. De acordo com o estudo Mapa da Violência dos Municípios Brasileiros, de 2008, capitais como Recife (PE), Vitória (ES) e Maceió (AL) aparecem entre as mais violentas nessa triste estatística, com mais de 80 homicídios para cada 100mil habitantes. Na maioria das vezes, a violência aparece associada à superlotação e à pobreza, fatores que colaboram para a instituição do caos social.
A solução pra esse problema não surgirá apenas por meio da prática imediata, como o aumento de policiais ou de fiscalização nas ruas. Deve haver principalmente oportunidade iguais  de acesso à educação, lazer, saúde, cultura e emprego por parte de toda a população.


Saturação das vias e meios de transporte:

No século XX, com a invenção dos automóveis, avenidas foram abertas, o plano viário das cidades foi alterado e os carros passaram a ocupar intensamente as ruas. Com essa concentração de carros, ônibus e caminhões, os congestionamentos passaram a fazer parte do dia a dia dos habitantes das grandes cidades.
Para tentar amenizar o problema dos congestionamentos e da poluição provocada pelo excesso de veículos, algumas cidades, como a do México e de São Paulo, introduziram um sistema de rodízio. Seu objetivo principal é diminuir o número de carros, caminhões  e ônibus. Assim, dependendo do número final da placa, esses veículos são proibidos de transitar em determinados horários de um dia certo da semana, estando o motorista sujeito a multa caso desobedeça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário